menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Tireoide: será que ela é vilã ou vítima da obesidade?

Cintia Cercato

05/01/2018 04h00

Existem muitas pessoas que associam o ganho de peso a problemas da tireoide, particularmente o hipotireoidismo — situação em que há queda na produção de hormônios dessa glândula. A tireoide, de fato, tem uma função importante na regulação do metabolismo, e a falta da ação de substâncias liberadas por ela leva à redução do gasto de energia pelo corpo, favorecendo o ganho de peso.

Contudo, não se espera um aumento muito expressivo na balança. Geralmente, a ordem é de 3 kg a 5 kg quando a doença não está sendo tratada. A culpa, na maioria das vezes, é da retenção de líquidos. Uma vez corrigida, com reposição hormonal adequada, não podemos mais responsabilizar essa pequena glândula pelo peso extra.

Inclusive, pesquisas demonstram que a tireoide parece ser também vítima do excesso de peso. Isso porque a obesidade tem sido consistentemente associada, em estudos epidemiológicos, a um aumento do risco de câncer de tireoide. Sabemos que, durante as últimas décadas, o diagnóstico desse tipo de tumor tem crescido em várias regiões do mundo.

O uso cada vez mais comum de métodos como ultrassonografia do pescoço e punções de tireoide tem sido a principal explicação para esse fato. Contudo, vários autores têm demonstrado tendências paralelas entre o aumento de câncer de tireoide e o crescimento da prevalência de obesidade, sugerindo que esta deva ser considerada fator de risco para esse tipo de câncer.

Culpa de quem?

Os mecanismos biológicos que interligam essas condições ainda não são totalmente compreendidos. Obesidade está associada ao excesso de insulina — isso parece estimular a proliferação de células tireoidianas. Além disso, o tecido adiposo produz e secreta vários produtos — conhecidos como adipocinas. Um deles é o hormônio leptina, que encontra-se bastante elevado em pessoas com obesidade.

Já foi demonstrado que células de cânceres, como o de tireoide, expressam de forma aberrante receptores para leptina. Estudos de laboratório conseguiram demonstrar que a leptina é capaz de proliferar as células tumorais da tireoide. No entanto, existem pesquisas com resultados contraditórios e ainda é cedo para afirmar com certeza que a obesidade favorece o desenvolvimento ou a gravidade do câncer de tireoide.

Ainda não sabemos se prevenir o aumento de peso levará a uma redução dos casos, e são os estudos futuros que trarão essa resposta. De qualquer forma, ter um estilo de vida saudável traz muitos benefícios para a saúde, incluindo a prevenção do desenvolvimento de cânceres em geral. Uma dieta balanceada e atividade física regular são medidas sempre bem-vindas!

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.