menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Maridos de mulheres que fazem dieta podem perder até 3% do peso

Cintia Cercato

09/02/2018 04h00

dieta em casal

Crédito: iStock

Pesquisas já demonstraram que os casais costumam engordar após compartilhar o mesmo lar. Em geral, existe uma concordância no ganho de peso entre o marido e a esposa, e já se estuda como relações interpessoais podem influenciar o peso. Os hábitos de vida são sempre os responsabilizados. Unidos no amor e nos maus hábitos… Mas será que só influenciamos nossos companheiros de forma negativa? Parece que não. Pelo menos foi o que demonstrou um estudo publicado na revista International Journal of Obesity.

Foram convidados participantes de um grande estudo desenhado para analisar os efeitos de mudanças intensivas de estilo de vida na prevenção de doenças cardiovasculares em pessoas obesas com diabetes do tipo 2. Nessa pesquisa os participantes foram sorteados para dois tipos de intervenção –uma em que o foco era melhorar o estilo de vida de forma intensiva, e outro em que era feitas orientações gerais. Para isso, o primeiro grupo tinha várias reuniões nas quais eram orientados e incentivados a seguir uma dieta balanceada e com menos gordura e se exercitar cerca de 175 minutos por semana. Como era de se imaginar, o grupo de intervenção intensiva perdeu mais peso e melhorou mais a saúde após um ano de intervenção.

Mas o que os pesquisadores aproveitaram para analisar foi se o participante do estudo que recebia todas as orientações influenciava de alguma forma o seu esposo ou esposa que não participava da intervenção. Para isso foi avaliada a alimentação e atividade física dos cônjuges, bem como mudanças no ambiente da casa, como disponibilidade de alimentos ricos em gordura ou presença de equipamentos de ginástica na casa.

Os maridos/esposas daqueles participantes que recebiam orientações intensivas perderam um pouco de peso (cerca de 3% ao longo de 1 ano), reduziram o consumo de gordura e adotaram mais frequentemente estratégias comportamentais como se pesar com regularidade e contar calorias. Na casa dos participantes do grupo intensivo também havia menos alimentos gordurosos e mais alimentos light. Já em relação a atividade física não houve mudanças, nem no hábito de se exercitar nem no número de equipamentos de ginástica em casa.

Esse foi o primeiro estudo a mostrar que o tratamento comportamental para um dos cônjuges pode influenciar a perda de peso do outro, que não participava das sessões. Os benefícios foram mais evidentes nas intervenções alimentares, indicando o impacto que mudanças no ambiente da casa podem ter na saúde dos companheiros. Já a atividade física depende de um comportamento mais ativo por parte do parceiro e nesse estudo não houve mudanças.

De qualquer forma, quando uma pessoa melhora seus hábitos, acaba por influenciar positivamente aqueles que estão a sua volta. Unidos no amor e nos bons hábitos também!

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.