menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Kefir reduz a absorção de colesterol e melhora o funcionamento do intestino

Cintia Cercato

30/03/2018 04h00

Há muitos anos que se sugere que as bebidas lácteas fermentadas podem estar envolvidas na longevidade. Um dos pioneiros nessas pesquisas foi o zoologista russo  Élie Metchnikoff. Ele foi um especialista nos estudos do sistema imunológico chegando a receber o prêmio Nobel de fisiologia e medicina em 1908. Acreditava que o envelhecimento do organismo era causado por bactérias tóxicas no intestino e que o consumo de leite azedo ou iogurte, por possuir bactérias produtoras de ácido lático (Lactobacillus), seria capaz de prolongar a vida.

Muitas pesquisas atuais indicam que as bebidas lácteas fermentadas são de fato muito boas para saúde por possuírem probióticos –"bactérias do bem", como as Bifidobactérias e algumas espécies de Lactobacillus.

E o que é o Kefir, tão na moda ultimamente? É uma bebida fermentada feita a partir da adição de "sementes de Kefir" no leite . Essas sementes nada mais são do que probióticos naturais, principalmente Lactobacillus acidophilus, Bifidobacterium bifidum e leveduras. E qual a diferença para o iogurte? A diferença é que o Kefir possui mais de 50 espécies diferentes de bactérias e leveduras, tornando-se uma fonte de probióticos muito diversificada. Isso faz com que, em tese, a bebida seja considerada muito mais potente que outros produtos lácteos fermentados.

Existem vários estudos experimentais (com animais de laboratório) que tentaram avaliar propriedades funcionais do Kefir. Esses trabalhos nos deixam empolgados, já que  foram capazes de demonstrar melhora nos níveis de colesterol, na função imunológica e até efeitos reduzindo a proliferação de tumores. No entanto, os estudos em humanos são ainda muito escassos e, de um modo geral, não comparam o seu efeito em relação a outras bebidas lácteas fermentadas.

O que se sabe  é que o Kefir é comprovadamente útil naquelas situações em que as bebidas lácteas fermentadas tem algum papel. Um exemplo é a redução da absorção do colesterol da dieta. Uma pesquisa buscou avaliar o efeito do consumo de Kefir no colesterol de mulheres obesas na pré-menopausa, em comparação com o uso de leite desnatado. O resultado mostrou que os benefícios na redução do colesterol foram iguais nas duas bebidas.

O uso do Kefir também mostrou-se útil para pessoas com alteração na função do intestino –tanto "intestino preso" quanto na síndrome do cólon irritável. Esse benefício é conhecido para as bebidas lácteas fermentadas. As pesquisas mostram  que existe melhora da flora intestinal, com o aumento das "bactérias boas", ajustando a função do intestino.

Mas um beneficio que é largamente propagado nos sites e redes sociais é que o Kefir tem propriedades de emagrecimento. Em relação a esse aspecto não existem evidências nem em estudos experimentais nem em humanos. Uma pesquisa bem controlada investigou justamente os efeitos do Kefir no peso corporal de mulheres durante tratamento com dieta. Aquelas que usaram o Kefir não emagreceram mais do que as que não o consumiram , não sendo possível demonstrar seu efeito na perda de peso.

O que posso concluir? Que o Kefir parece um alimento valioso, por conta da diversidade de probióticos, principalmente para a função intestinal e absorção de colesterol. Por transformar a lactose do leite em ácido lático também é melhor tolerado por pessoas que tem algum grau de intolerância a lactose. Mas não podemos propagar por aí que emagrece. Vale a pena incluir na sua dieta uma boa fonte de bebida láctea fermentada, e o Kefir pode ser uma opção. No entanto, não espere que isso deixará você mais magro(a)!

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.