menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Entenda como a poluição pode aumentar o risco de problema cardiovascular

Cintia Cercato

27/04/2018 04h01

Crédito: iStock

A doença cardiovascular (DCV) é a principal causa de morte em todo o mundo, com uma estimativa de mais de 17 milhões de mortes no ano de 2016. A exposição à poluição do ar foi responsável por cerca de 3,3 milhões dessas mortes, sendo cerca de 2,1 milhões por doenças isquêmicas do coração (por exemplo infarto) e mais de 1,1 milhão por derrame cerebral (AVC). A poluição do ar ambiente é emitida a partir de uma uma série de fontes, incluindo o tráfego, a indústria, incêndios florestais e a poeira ressuspensa no ar.

Por que poluição é fator de risco cardiovascular?

A exposição crônica aos poluentes causa um aumento de radicais livres nas células, que não conseguem ser neutralizados pelos antioxidantes, causando o chamado "estresse oxidativo". Isso faz com que haja maior inflamação no corpo, promovendo aumento da resistência à insulina, aumento da pressão arterial, aumento da coagulação do sangue e tendência à trombose. Assim, a exposição aos poluentes aumenta o risco de desenvolvimento de hipertensão arterial, diabetes mellitus do tipo 2 e redução do colesterol bom (HDL), que são fatores de risco clássicos para doenças do coração.

Qual o seu grau de vulnerabilidade à poluição?

Não sei se você já pensou nisso, mas a depender da cidade que vive ou mesmo do local da sua casa ou de trabalho, você pode ter maior risco cardiovascular. É importante avaliar o seu grau de exposição à poluição atmosférica, já que esse é mais um fator de risco para a saúde.

Algumas questões podem ajudar a pensar no assunto:

1-      Você vive ou trabalha em um centro industrial?

2-      Você fica muito tempo no trânsito?

3-      Você dirige com as janelas do carro abaixadas?

4-      Você mora próximo a grandes avenidas e estradas?

5-      Você faz exercício ao ar livre próximo a locais com muito trânsito ?

As pesquisas apontam que o risco de eventos cardiovasculares é maior em ambientes mais poluídos, nas horas do rush e em dias mais quentes, quando os níveis de poluição tendem a ser mais elevados.

É possível reduzir a exposição a poluição?

Obviamente, mudar de emprego, de casa ou de cidade é inviável. Mas alguns cuidados devem ser seguidos para diminuir a vulnerabilidade à poluição. Vale a pena checar como está a qualidade do ar na sua cidade em tempo real.

Em São Paulo, por exemplo, é possível acompanhar a cada hora o índice de qualidade do ar no link (http://sistemasinter.cetesb.sp.gov.br/Ar/php/mapa_qualidade_rmsp.php). Assim, algumas atitudes podem diminuir sua exposição a poluição e reduzir seu risco.

– Evite se exercitar ao ar livre quando a qualidade do ar estiver ruim. Nessa situação prefira a academia.

– Procure não dirigir com vidros abertos, particularmente na hora do rush ou em estradas com muitos caminhões.

– Ao dirigir em ambientes muito poluídos, utilize o ar condicionado com circulação interna no carro.

– Mantenha as janelas de casa fechadas nos dias de qualidade de ar muito ruim.

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.