menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Goma de mascar pode ajudar a emagrecer?

Cintia Cercato

01/06/2018 04h00

Crédito: iStock

Muitas pesquisas sugerem que mastigar bem os alimentos pode influenciar o apetite e o consumo alimentar. Revisões de vários trabalhos indicam que de fato a mastigação reduz a fome e que aumentar o número de mastigações por mordida aumenta a liberação de hormônios gastrointestinais envolvidos em saciedade. Daí vem a orientação de que mastigar lentamente os alimentos pode ser uma estratégia útil para emagrecer.

Mas alguns cientistas tem estudado como o hábito de usar goma de mascar pode influenciar a alimentação e o gasto de calorias e se haveria algum impacto no controle do peso.

Essa história começou há alguns anos quando pesquisadores testaram a hipótese de que o uso da goma de mascar reduzia o apetite e o consumo subseqüente de lanches. Foram avaliados sessenta participantes saudáveis que compareceram ao laboratório para um almoço padrão seguido de um lanche 3 horas após. Era analisada a sensação de fome e medida a quantidade de lanche consumido.

Numa outra visita ao laboratório, após o almoço, os participantes eram orientados a usar a goma de mascar por pelo menos 15 minutos a cada hora e após 3 horas era servido o lanche. Foi observada uma redução de 10% do peso do lanche consumido após o uso da goma e houve redução dos escores de fome e aumento da sensação de plenitude.

Esses autores defenderam o uso da goma de mascar como ferramenta útil no controle do peso. No entanto, outros pesquisadores mostraram que esse hábito diminuiu o consumo de lanches a base de frutas e não a base de salgadinhos, não sendo uma ferramenta tão interessante assim, podendo piorar a qualidade da dieta.

Outras pesquisas mostraram que mascar a goma sem açúcar após uma refeição leva ao aumento do gasto calórico. Esse gasto é da ordem de 11 kcal por hora, pelo menos foi o que um estudo publicado na renomada revista The New England Journal of Medicine demonstrou há quase 20 anos. Mas pesquisas mais recentes demonstraram que esse efeito não foi maior do que apenas mastigar mais lentamente os alimentos.

A pesquisa mais recente nessa área foi apresentada em maio no Congresso Europeu de Obesidade realizado em Viena e que avaliou o efeito de usar a goma de mascar sem açúcar durante uma caminhada de 15 minutos em comparação com ao efeito de consumir os mesmos ingredientes da goma, só que na forma de pó, sem o componente mastigatório.

Os pesquisadores mediram a frequência cardíaca em repouso e a frequência cardíaca média dos participantes durante a caminhada, bem como a distância percorrida e a cadência da marcha. Curiosamente, a freqüência cardíaca média durante a caminhada aumentou quando eles mascavam a goma, e a distância percorrida a pé bem como a velocidade da caminhada foram significativamente maiores enquanto os participantes usavam a goma de mascar.

Muito curioso, não? Mas antes de sair por aí mascando goma o dia inteiro, melhore suas escolhas alimentares, coma lentamente e cuide da saúde de seus dentes. Isso sim faz diferença para ter uma boa saúde.

Referências bibliográficas:

• Effects of chewing gum on short-term appetite regulation in moderately restrained eaters, Appetite 2011;57 (2): 475-482

• Acute and chronic effects of gum chewing on food reinforcement and energy intake. Eating Behaviors 2013; 14(2):149-156

• Effect of postprandial gum chewing on diet-induced thermogenesis.Obesity 2016; 24, 878-885.

• The Energy Expended in Chewing Gum. N Engl J Med 1999; 341:2100
• The effects of gum chewing while walking on physical and physiological functions. J Phys Ther Sci. 2018; 30(4): 625–629.

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.