menu
Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Vigorexia: desejo de ficar cada vez mais forte pode ser transtorno

Cintia Cercato

02/11/2018 04h00

Crédito: iStock

Durante as últimas décadas a imagem corporal masculina idealizada mudou muito. Hoje em dia os modelos masculinos e até mesmo os bonecos de brinquedo de ação para crianças estão cada vez mais musculosos. Os jovens estão constantemente expostos a imagens de homens fortes em revistas, na televisão e no cinema filmes. Por conta disso, muitos se preocupam excessivamente com a imagem corporal e cada vez mais pesquisas em nosso meio demonstram um aumento importante da prevalência de um distúrbio chamado de vigorexia ou dismorfia muscular.

Trata-se de uma condição caracterizada por uma preocupação obsessiva com a aparência muscular. Os portadores desse transtorno descrevem uma insatisfação com o tamanho e forma do corpo acreditando que possuem pouca massa muscular e acabam adotando um comportamento obsessivo para ganhar massa muscular, exagerando nos exercícios de musculação, abusando de suplementos alimentares e esteroides anabolizantes e similares, como hormônio de crescimento (GH) e até insulina.

O problema é muito preocupante, visto que jovens vêm utilizando de forma indiscriminada esses medicamentos que podem causar vários riscos à saúde. Dentre eles, o uso excessivo de esteroides anabolizantes pode levar ao aumento da pressão, queda do HDL (colesterol bom) e aumento do LDL (colesterol ruim), o que eleva o risco de infarto, derrame, arritmias e até morte súbita. Outro problema relacionado a essa prática é a hepatite medicamentosa, que pode evoluir para falência hepática e aumento do risco de câncer de fígado. Isso sem falar nos problemas de humor, pois os usuários podem desenvolver sintomas de mania, por vezes associados à agressão, violência e até homicídio!

É muito importante identificar a presença do transtorno dismórfico muscular ou vigorexia. Os profissionais de saúde mental se baseiam na presença dos seguintes critérios:

Preocupação com a ideia de que o corpo não é suficientemente magro e musculoso. Condutas associadas características incluem longas horas levantando peso e excessiva preocupação com a dieta, que são sinais de alerta quando há pelo menos dois desses quatro comportamentos:

  1. O indivíduo frequentemente abandona importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas por causa de uma compulsiva necessidade de manter seu esquema de exercício e dieta.
  2. A pessoa evita situações onde seu corpo é exposto a outros (como tirar camiseta na praia) ou enfrenta tais situações com acentuado desconforto E intensa ansiedade.
  3. A preocupação com a inadequação do tamanho ou musculatura corporal causa desconforto clinicamente significativo ou prejuízo a áreas de atividade social, ocupacional ou outras áreas importantes.
  4. O indivíduo continua a exercitar-se, a fazer dieta ou utilizar substâncias ergogênicas (destinadas a melhorar o desempenho) apesar de saber as consequências adversas do ponto de vista físico ou psicológico.

O foco primário da preocupação concentra-se em ser muito pequeno ou inadequadamente musculoso, distinguindo-se do medo de estar gordo, como ocorre na anorexia nervosa, ou uma preocupação primária apenas com outros aspectos da aparência tal como em outras formas de distúrbio dismórfico corporal.

A identificação da presença de vigorexia é fundamental, uma vez que as consequências do distúrbio para a saúde são muitas, especialmente quando há o abuso de anabolizantes.

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.