menu

Topo
Blog da Cintia Cercato

Blog da Cintia Cercato

Categorias

Histórico

Como o estrógeno e o ciclo menstrual interferem na sua alimentação

Cintia Cercato

2010-05-20T19:04:00

10/05/2019 04h00

Crédito: iStock

O ciclo menstrual é um fenômeno biológico que possui um caráter cíclico, que dura, em média 28 dias, e pode ser dividido em fase folicular e lútea. Na primeira fase- a chamada fase folicular- ocorre o aumento dos níveis de estrógeno, que atinge um pico no período pré-ovulatório. Na segunda fase do ciclo, chamada de fase lútea, há o predomínio da progesterona.

Você já reparou que o seu consumo alimentar varia ao longo do mês de acordo com a fase do seu ciclo menstrual?  Isso tem tudo a ver com a variação hormonal em cada fase. O estrógeno tem um papel em reduzir o consumo alimentar. Já foi bem demonstrado que ele atua no nosso cérebro nas áreas envolvidas na regulação do apetite e tem um efeito de diminuir a fome. Uma pesquisa com mulheres com ciclos menstruais regulares avaliou a quantidade de calorias consumidas nas diferentes fases do ciclo. Os pesquisadores encontraram que na fase pré-ovulatória, aquela em que os níveis estrogênicos estão no seu máximo, existe uma redução do consumo alimentar da ordem de 200 a 300 calorias! Foi observado que não há mudança da frequência de refeições, mas sim da quantidade de alimento por refeição. Isso significa dizer que as mulheres se sentem mais saciadas nessa fase.

Além disso, no período antes da ovulação ocorre uma redução da vontade de comer doces. Foi realizada uma pesquisa com universitárias onde a cada semana do ciclo menstrual elas precisavam dar uma nota de 1 a 5 para a vontade de comer um determinado alimento. Elas levavam 15 fotos de alimentos de baixas calorias, como fotos de frutas, verduras, legumes, peixe, e mais 15 fotos de alimentos densamente calóricos, como doces, tortas, pizza, hambúrguer. Em todas as fases, as notas da vontade de comer os alimentos mais calóricos foi maior, exceto na fase correspondente a pré-ovulátoria, em que o desejo pelos alimentos calóricos obteve escores bem mais baixos que nas outras fases, e semelhantes aos alimentos de baixa caloria. Ou seja, as mulheres na fase pré-ovulatória além de comerem refeições menores, modificam a preferência alimentar, sentindo menos vontade dos alimentos densamente calóricos.

Já na fase pré-menstrual, quando os níveis de progesterona estão mais altos existe um maior consumo de calorias e ocorre maior busca por alimentos mais ricos em açúcar e gordura. O mecanismo pelo qual a progesterona afeta o apetite não é bem esclarecido. Acredita-se que a redução dos níveis de estrógeno nessa fase pode ter um papel mais importante, reduzindo a ação da serotonina, hormônio tão importante na regulação do humor. Isso talvez explique não só a mudança no comportamento alimentar como também alterações de humor nesse período que antecede a menstruação.

Sobre a autora

Cintia Cercato é médica endocrinologista pela USP (Universidade de São Paulo), que se dedica à obesidade desde que defendeu doutorado nessa área em 2004. É a professora responsável por essa disciplina na pós-graduação da Faculdade de Medicina da USP, onde desenvolve várias pesquisas sobre o tema. Foi presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e atualmente é diretora do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
- Site: www.cintiacercato.com.br
- Facebook: https://www.facebook.com/dracintiacercato/
- Instagram: https://www.instagram.com/cintiacercato/
- Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCbLI7AXyq3G2pyNDEL7zuvg

Sobre o blog

Este é um espaço com conteúdos relevantes sobre controle do peso, dieta, estilo de vida e tratamento da obesidade. Todas as publicações têm como base a melhor evidência científica disponível, garantindo informações de credibilidade.